Este blogue consta de uma compilação de retratos da natureza e intervenção humana em ambiente rural e urbano que O Cidadão abt vai capturando com a sua objectiva durante as caminhadas, será despejada neste blogue de muitos pixeis e poucos bitáites, dando ao ciberleitor a possibilidade de clicar sobre cada uma das fotos e de seguida na tecla F11 para melhor as poder desfrutar em ecrã total... Ligue o som e... passe por bons momentos!


terça-feira, 30 de setembro de 2014

BELVER II

Servindo de complemento ao post BELVER I,  esta é a versão "hard" do circuito pelas Arribas do Tejo.





Caminhada para quatro horas, que com condições meteorológicas adversas se estica para as sete horas... 







É fantástico verificarmos como a paisagem muda radicalmente e o grau de dificuldade sobe consideravelmente, sendo necessária muita concentração a cada passo dado.





No entanto, se conservarmos os pés enxutos e formos providos de algum vestuário impermeável poderemos adquirir novas experiências e no final sentirmos aquela satisfação pessoal de pertencermos ao escasso grupo de caminheiros que não receiam progredir em plena tempestade.






Cá o Cidadão sempre foi adepto deste género de aventura, onde funciona o lema do “Quanto pior, Melhor”...



Sabe bem sentirmos o vento, a chuva e o frio fustigando-nos o rosto.




Faz-nos bem caminharmos contra a gélida nortada, em plena montanha!





Abençoa-nos a alma, sentirmos no rosto as gélidas gotas de água que se desprendem nas copas das árvores agitadas pela brisa matinal.




Passada a chuva copiosa que cai sobre o bosque onde flutuamos sobre o tapete de folhas amarelecidas...






...dá-nos um certo sainete e vitalidade observarmos os raios solares rasgando a neblina entranhada nas copas das árvores ora pejadas de chilreios e sinfonias,






...quais catedrais da natureza que parece ressuscitar das trevas, anunciando-nos o arranque dum novo dia...















...de uma nova era, enfim, lembrar-nos que estamos presentes e somos parte da essência da vida...
Fiquem bem. Fiquem com esta ode.