Este blogue consta de uma compilação de retratos da natureza e intervenção humana em ambiente rural e urbano que O Cidadão abt vai capturando com a sua objectiva durante as caminhadas, será despejada neste blogue de muitos pixeis e poucos bitáites, dando ao ciberleitor a possibilidade de clicar sobre cada uma das fotos e de seguida na tecla F11 para melhor as poder desfrutar em ecrã total... Ligue o som e... passe por bons momentos!


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

VALHASCOS

Calcorreando o PR4-Via Romana no sentido inverso, localizado no concelho do Sardoal com início no Largo Lobato Correia sito no centro da aldeia de Valhascos onde poderemos apreciar a traça simplista da altiva Igreja de Nossa Senhora da Graça...
...rumando por entre o arvoredo de sobreiros e carvalhos até alcançarmos a fonte da Queixoperra...













Subindo o estradão de terra, embrenhamo-nos a meia encosta em direcção ao vale cavado da ribeira do Travesso onde podemos apreciar a densa vegetação verdejante e sentirmos o estalido das galhas dos arbustos com a passagem de animais rasteiros, entre os quais raposas, saca-rabos, coelhos e cruzarmo-nos com os espojadouros, as pegadas e pelo dos javalis agarrado aos troncos dos sobreiros e das azinheiras.





Embrenhamo-nos num vale constituído de uma miscelânea de pinheiros, eucaliptos e azinheiras onde nas barreiras sombrias podemos apreciar os líquenes, os musgos e os cogumelos que vão desfilando ao nosso caminhar.














Para sul, subimos a calçada romana com aproximadamente setecentos metros que nos guia ao Casal da Graça e a partir daí passamos a caminhar num planalto de onde disfrutamos de uma vista privilegiada sobre o vale do Tejo, sobre a Central Termeléctrica o Pego e sobre o cabeço de Abrantes, onde se destacam as muralhas do castelo.















Andando mais uns passos, entramos na povoação de Taboleiros onde à nossa esquerda descemos por uma quelha entre habitações na direcção à Fonte dos Mouros cujo posicionamento da placa informativa é de tal forma inconveniente que nos impede de fazermos fotografias integrais deste pequeno monumento.










Continuado a jornada, cruzamos a estrada Nacional 359 por onde caminhamos cerca de duzentos metros em direcção a nordeste e daí tomamos um estradão à esquerda que nos leva à lindíssima Capela de São Bartolomeu, datada do Séc. XVII e associada aos caminhos de Santiago.











...e nos embrenhamos numa ligeira subida onde predominam os bosques de sobreiros e carvalhos intercalados com clareiras e lameiros em que os habitantes da região praticam agricultura de subsistência.









No largo principal da povoação de Valhascos terminamos este percurso circular com cerca de doze quilómetros e meio e três horas e meia de caminho, se contarmos com as passadas mais lentas e a recolha fotográfica.